Um pouco sobre a Web Semântica, agentes e linguagens utilizadas

Computadores não entendem o que querem dizer os documentos dispostos na Web, ou seja, não conseguem entender o significado, a semântica, desses documentos. Podem até entender a sintaxe, mas a semântica é perdida. Alguns pensariam que a evolução dos processadores de linguagem natural poderia ajudar nesse aspecto, mas será que eles conseguiriam distingüir a semântica entre as frases “Eu tenho 15 anos” e “Muitos dizem que eu tenho 15 anos”, possivelmente presentes em uma página Web? Ou ainda, ao fazer uma busca pela palavra “Barcelona”, como seria possível retornar somente páginas relacionadas com o clube de futebol Barcelona, e não resultados referentes à cidade espanhola Barcelona?

A Web Semântica ajuda os sistemas inteligentes que percorrem páginas Web a capturarem o sentido da página e o seu conteúdo. A Web, hoje em dia, lida com documentos, enquanto que a Web Semântica busca lidar com coisas, como pessoas, eventos, lugares, filmes, organizações ou qualquer outro conceito desejável, não somente indicando para os computadores essas coisas, mas também mostrando como elas se relacionam entre si, como elas estão conectadas umas com as outras.

Com a Web Semântica, um sistema poderia entender, por exemplo, como uma pessoa, um evento e um lugar se relacionam, facilitando a interação com esses dados. Se uma festa de aniversário é marcada como um evento, com uma data e um local, o computador conseguiria salvar esse compromisso na agenda de uma pessoa. Ferramentas de busca também se beneficiariam com o aumento de precisão das buscas. Uma pessoa poderia informar se o que está sendo buscado é uma pessoa, um lugar, uma música ou um clube de futebol. Assim, a busca não ficaria restrita somente a palavras-chave, mas o resultado também dependeria da semântica das páginas.

Um conceito considerado muito importante para a Web Semântica é o conceito de agentes, que são softwares que percorrem as páginas da Internet em busca de dados anotados semanticamente. Uma pessoa teria um agente pessoal, que conheceria diversas informações a respeito do agenciado. Ao pedir para um agente pessoal encontrar um hotel, devido a uma viagem para um congresso em Manaus, o agente seria capaz de navegar pelas páginas de hotéis de Manaus — e até pela página do congresso, retornando com uma sugestão de hotel próximo ao evento, que não fosse o mais barato, mas cuja rede hoteleira que o administra tenha sido avaliada positivamente pelo agenciado em uma viagem anterior.

Precisa-se, então, de algo que permita embutir semântica em documentos HTML, ou, em outras palavras, anotar os dados de uma página Web semanticamente. Algumas tecnologias já fazem isso, como Microformats e RDFa, permitindo que os conteúdos das páginas façam sentido para humanos e máquinas.

Contudo, o poder de expressividade dessas linguagens não é grande. É possível criar uma página utilizando tecnologias mais expressivas, como OWL e RDF, mais intencionadas para o entendimento dos dados pelos computadores, e não somente por humanos.

About these ads

0 Responses to “Um pouco sobre a Web Semântica, agentes e linguagens utilizadas”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Feed RSS completo

Arquivos


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: